sexta-feira, 15 de julho de 2011

TAMANHO - Rogério Camargo


Tentando ser maior que seu tamanho,
ganhou o medo como companheiro.
Um medo que acompanha o tempo inteiro
os atos conhecidos e os estranhos. 

Da máxima ferida ao simples lanho,
as dores têm raiz neste primeiro
impulso fantasioso, interesseiro,
onde qualquer estímulo é um assanho.

A iminência de, afinal, realizar,
de se tornar um grande, finalmente,
gera tensões, angústias e pavores.

Pois, consequência lógica, falhar
é tudo que consegue o pretendente
a cores que não são as suas cores.

12.07.2011

Rogério Camargo
Postar um comentário

LinkWithin

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...