terça-feira, 29 de março de 2011

RIGOROSO - Rogério Camargo


Sou muito rigoroso pra comigo.
Não me perdôo coisas tão humanas
que, se é com outro, facilmente digo
que ele está tendo uma visão insana.

Em cada erro aponto eu um perigo:
a imagem rasga ali suas membranas,
torna-se frágil, como um vaso antigo
em mãos desajeitadas e profanas.


Olho com fúria para uma inocência
cheia de medos e de inconsequência
e sou-me um implacável julgador.

Tivesse um olho menos carregado
e não veria em mim tão projetado
o que não é pecado nem horror.

ROGÉRIO CAMARGO
28.03.2011
Postar um comentário

LinkWithin

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...