segunda-feira, 21 de março de 2011

Ela - Maneisha (Joelma)


Desejo que chegue leve e mansa, mas também intempestiva. É necessário que ela não seja rude comigo, mas que alie-se a mim, já que sempre estivemos do mesmo lado. Tomo isso como um compromisso diplomático, nós contra a vida.

Nos dias em que desisti da disputa, ela não esteve ao meu lado, o que me deixou muito, muito sorumbática. Que tipo de aliada é você? Dona da Foice? Que inferno, qualquer um pode ter uma foice, mas se não for para foicear, de que serve?

Por favor, seja branda e pontual. Não me mate assim aos estrebuchos, isso não é decente. Se impossível ser branda, seja repentina, ao menos, um acidente fatal, que tal?

Prefiro não encontrar-te na cama, a não ser que seja numa noite de sono, não leve a mal, é que você não me excita, apesar de ser assim tão jovem branca e atraente sob o seu capuz. Não se insinue com o cabo! Nada de estupros ou empalações!

Você é o tipo de gente que a gente encontra só uma vez na vida mesmo, e normalmente não podemos conversar bem. Se fosse possível adiantar algumas perguntas, eu as faria, tipo... Quem foi sua consultora de moda? Tudo bem que é necessário, mas, foice e capuz? Com esse corpinho magro, eu me apresentaria de shortinho. E não me ameace com o inferno! Isto não está na sua jurisprudência, exijo meu advogado!

É você? Retiro o que disse, prefiro ficar sem advogado mesmo.
Essa sonsa malacabada vai me levar de qualquer jeito. Opz, sonsa malacabada estava falando da minha colega, claro que não de ti, chegue mansa, branda, de repente, isso. Obrigada por entender.
ZAZ!

Gostaria de dizer agora, no último momento, que eu peço perdão por nada, que faria tudo novamente, pois é da minha natureza, que fiz o melhor que pude, o que não foi, claro, grandes coisas, ou não.

Gostaria de dizer que errei muito, gostaria de dizer que te amo, gostaria de te amar, gostaria que meus órgãos fossem aproveitáveis e gostaria de ser cremada, se possível, embora as cinzas não devessem ser entregues a ninguém especial, pois qualquer um pode jogá-las no ralo da pia, tanto faz.

Gostaria de dizer que tanto faz como tanto fez. Que se foda, que se dane, que se exploda. Gostaria de não ter nascido, aliás, mas nasci, a gente nunca é livre de fato.

Perdi a conta de quantas vezes quis morrer, e também de quantas vezes quis viver, mas nunca tive coragem. Gostaria de ter coragem, da próxima vez.
Gostaria de ser eu mesma, com um olho diferente. Gostaria de um olho de mosca ou de fuzil. Gostaria de morrer logo, mas que inferno!
Gostaria que fosse agora, mas não é.
Postar um comentário

LinkWithin

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...