quarta-feira, 19 de novembro de 2008

Copo Roubado à Fonte - Danny Marks


-->
Estavam os familiares reunidos para leitura do testamento do famoso inventor Crisóstomo Anferes, doze horas após o concorrido funeral.
Única nota destoante era a presença do fiel assistente que o acompanhara desde os tempos ruins de mero laboratorista até depois de ter seu talento reconhecido mundialmente.
O advogado leu pacientemente as clausulas do testamento que distribuía os bens do falecido entre os presentes e recolheu as lamúrias gananciosas dos abutres fantasiados de gala.
Apenas o assistente Fernando Carlos parecia satisfeito com o seu legado: Um laboratório conservado dos tempos ruins, mais por sentimentalismo que por utilidade, e uma pequena soma em dinheiro a titulo de indenização para cada ano trabalhado ao lado do multimilionário que o falecido se tornara. Uma gota sequer notada no oceano de riquezas.
O advogado aproximou-se de Fernando antes que este abandonasse a sala e perguntou-lhe intrigado com tamanha dignidade.
_ Ficou satisfeito com sua parte?
_ Crisóstomo era meu amigo e nunca me deixou faltar nada que necessitasse. Foi um péssimo cientista até o final, mas um gênio nos negócios. Aprendi muito com ele e, afinal, o que foi um copo roubado à fonte? Sim, estou satisfeito com a minha parte e já sei o que fazer daqui para frente.
Um brilho de entendimento surgiu no olhar do advogado.
_ Senhor, acaso precisaria dos serviços de um honesto advogado?
_ Claro meu amigo, um dia também precisarei de um testamenteiro. Porque não começar logo?
Rindo os dois fecharam as portas às hienas que nem perceberam que sua fonte secara.

Postar um comentário

LinkWithin

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...