terça-feira, 21 de junho de 2011





















O mastro está a meia bandeira, O maestro sorri meio em dó-menor, O rastro silencia a meias palavras, O destro segreda seus meios termos, A moça respira suas meias verdades, A melodia respira meio tons, A flor acena meia pétala de adeus, A estrada redesenha seus meios-fios, E o olhar nu decifra seus meios verões, E na varanda antiga encontro suas metades felizes, E no varal suas meias descansam em serenatas, E a janela por fim respira inteiras saudades... baumann(noite)
Postar um comentário

LinkWithin

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...