quinta-feira, 8 de novembro de 2012

O segredo entre dois joelhos (6° CAPÍTULO) - Lariel Frota



            Sem poder mexer um único músculo do corpo  ouviu esse diálogo estranho. Despertando aos poucos  do sono forçado resolve fingir  que ainda dorme,  mantendo  as pálpebras semi cerradas consegue enxergar agora bem perto,  os rostos  das criaturas que a cercam.
            São horrendos, sob o capuz  um vazio com olhos desproporcionais. Não há boca, nem nariz, apenas dois olhos vítreos que a observam como lentes pesquisadoras de um  microscópio  vivo.
            Completamente paralisada dentro do túnel iluminado está aterrorizada com o que acaba de ouvir. A dor aumenta gradativamente, parece que com aparelhos cirúrgicos abrem  seu joelho, procurando por alguma coisa lá dentro.
            Então    não está no estágio  pós-morte aguardando o julgamento final. Ouviu as criaturas  falarem  sobre abdução.  Foi capturada por alguma nave espacial de que tanto ouvira falar na mídia nos últimos tempos. Precisa escapar, não vai se entregar  facilmente; a ideia de ter seu corpo participando  de qualquer projeto alienígena a apavora. Tirando forças não sabe de onde se solta do interior daquele túnel maldito. Tão rápido quanto permite a dor intensa em toda a perna esquerda,  foge pelo  corredor iluminado. Há de encontrar alguém para ajudá-la, quem sabe existam outros prisioneiros abduzidos por aquelas criaturas sem rosto. Juntos haverão de formar uma frente  de resistência.
            Parece que não perceberam  a fuga, stavam por demais compenetrados nos seus trabalhos abjetos, o joelho lateja intensamente.  No   corredor imenso muitas portas, todas fechadas. O coração acelerado parece sair pela boca, o medo e o desejo de fugir é tanto que sente os pés longe do chão, deslizam como se tivessem asas. De repente uma porta aberta.
            Uma sala ampla, muito iluminada com dezenas de macas onde pessoas inconscientes parecem esperar  por uma cirurgia em grupo. Todos tem  os joelhos abertos que sangram abundantemente. Um  grupo de alienígenas se aproxima. Tão rápido quanto consegue se enfia debaixo de uma das camas. Tremendo de pavor ouve as mesmas vozes metálicas saindo dos rostos  vazios.
            -Rápido Azor, precisamos terminar a transferência desses  nossos pequenos zions. Os módulos de recolhimento estão na temperatura adequada. Temos pouco tempo pra providenciar a transmutação dentro das margens de segurança!
            -Certo comandante. Projeto 001yk927 de abdução em fase de conclusão. Todos os zions implantados nas articulações dos terráqueos estão em perfeitas condições bio energéticas; iniciando transferência para o modulo de maturação.
            -Perfeito Azor, temos ainda quarto grupo de abduzidos aguardando a retirada. Dentro do prazo estipulado estaremos voltando para nossa galáxia com nossa raça preservada da extinção.
            -O comando geral já decidiu o que fazer com esses terráqueos?
            -Sim, trata-se de uma raça inferior. Não evoluíram  uma nano partícula cósmica nos últimos milênios; só servem como módulos de primeiro estágio. Que se diga a bem da verdade, foram os   péssimos  hábitos  alimentares, aliados a uma vida sedentária dessa  raça,   que viabilizaram condições ideais de desenvolvimento para os nossos zions. Não nos cabe zelar por uma sub raça prepotente e maligna,  que chega ao absurdo de injetar substância tóxica em seus corpos, alterando as características originais,  simplesmente em nome de uma beleza que só uma visão distorcida pode enxergar.
            -Ok comandante, em 47 segundos começamos a retiradas. Temos uma boa  margem de segurança,  visto   que  conforme suas orientações,  não temos que nos preocupar  com o  estado dos corpos gestores.

            Corpos gestores…. raça inferior…. sub raça prepotente e maligna….. pois sim! Ela é que não vai ficar indiferente, acovardada esperando um bando de alienígenas arrancarem  algo que implantaram em todos aqueles pobres corpos adormecidos,  certamente sob a força de alguma potente medicação. Agora entende tanta gente com problemas nas articulações, principalmente nos joelhos, as vezes no esquerdo, outras no direito, em muitos casos em ambos.
Foram todos como ela  abduzidos. Por algum processo desconhecido implantaram um embrião  alienígena para que tivesse dentro das articulações condições de se desenvolver num primeiro estágio. Agora entende as  salas de espera dos ortopedistas lotadas, as sessões de fisioterapias com filas imensas.
 Não vai ficar acuada como um bichinho covarde, vai lutar com todas as forças. Gritará tanto que acordará todos os  companheiros de infortúnio. Se ela conseguiu  despertar e escapar; há de conseguir  ajudar  outros tantos a fugirem  também.

Enche os pulmões de ar. Desde criança foi conhecida pelo poder vocal,  muitas discussões ganhara literalmente no grito. Mais que nunca é hora de colocar em ação todo esse potencial…
Postar um comentário

LinkWithin

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...