quinta-feira, 8 de novembro de 2012

O segredo entre dois joelhos (4º CAPÍTULO ) - Lariel Frota




            Dormiu sem se dar conta, não consegue controlar  o corpo, a única parte  que sabe lhe pertencer é o joelho esquerdo, embora confusa, completamente fora do comando de tudo, a dor está lá, aguda, insistente, irritante.
 Esforça-se pra manter os olhos abertos, as pálpebras estão pesadas.  Demasiadamente sonolenta perambula entre a semi consciência e o sono forçado. Isso comprova, deve estar vivendo o primeiro estágio pós-morte. Certamente daqui a algum tempo vai entrar alguém vestindo um  manto longo com um livro enorme na mão para fazer os acertos finais, ou seriam iniciais?
Que se recorde não cometera lá muitos pecados durante sua existência. Uma escorregada aqui, outra acolá, alguns pequenos deslizes consequências da fragilidade humana, mas nada que comprometa seu currículo de vida ou seria de morte, pós vida quem sabe? 
 Apesar da certeza dos seus atos vividos, está batendo  insegurança. Teria cometido alguma falta grave durante sua passagem pelo planeta? Quem l estaria incumbido de  fazer os acertos, a prestação de contas?
Lembra da avó na infância distante  falando sobre o zelo com as coisas de Deus, dos temíveis pecados  da carne, dos conselhos e alertas dados ao pé do ouvido quando  ainda estava  saindo das fraldas.
-Preste atenção no que a vovó vai falar, nunca, nunca mesmo deixe ninguém baixar sua calcinha até o joelho. Ninguém deve fazer isso, depois do xixi chame a vovó combinado?
Era muito pequena, mas lembra que seguia os conselhos ao pé da letra, só deixava a avó levantar sua calcinha. Se qualquer outra pessoa o tentasse, abria um berreiro.
Porque lembranças tão remotas? Talvez seja a consciência de que não foi assim  tão fiel aos conselhos da velha querida. Gostara da sensação do leve roçar dos joelhos nos primeiros abraços com o namorado. Também permitira, tempos depois, sem nenhuma resistência  que, na manhã ensolarada da cidade praiana,   a despisse no começo da lua de mel.

           Menina não despreze os conselhos
            Daqueles que te querem bem,
            Zela pelo  que tens entre os joelhos
            Cuidado com  o vai e vem!!!!

            Teria exagerado? Onde está  o limite entre o certo e o errado, o excesso ou o equilíbrio  nessa questão? Seria a dor intermitente no joelho uma prova de que está sendo punida  pelas transgressões cometidas?
            Começa a ouvir vozes,  sussurros  à distância. Seriam os julgadores decretando a sentença final?
            Consegue visualizar a figura que  se aproxima conversando com um grupo de pessoas, todas vestidas com um manto escuro, com capuz que cobre a metade dos rostos, só consegue identificar o padre Betinho, falecido há alguns anos;  então é certo, morreu e vai começar seu julgamento. Tenta chamar a atenção do  vigário,  uma sonolência incontrolável a arrebata novamente.
Postar um comentário

LinkWithin

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...