quarta-feira, 3 de agosto de 2011

BICHO FEROZ - Rogério Camargo



A solidão e o desespero dela,
a coisa triste, pobre, miserável
onde a beleza morre, se esfarela
e o mundo acaba sendo responsável.

A solidão que aos poucos amarela
as páginas da vida confortável
e afunda como um barco a vela
sem vela, casco ou rumo navegável.

Bicho feroz com dentes afiados,
com garras venenosas e faminto,
sempre caçando os mais desavisados.

Quem não se tem não tem como ter fora
do pessoal, particular recinto
uma presença que já foi embora.

29.07.2011.
Postar um comentário

LinkWithin

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...