sexta-feira, 1 de fevereiro de 2013

A Morte de Endy Will Sanders (3a Parte) - Danny Marks




Anteriormente:

Capítulo 1



3a Parte


O passado não pode ser curado.
Rainha Elizabeth I


            As coisas não poderiam estar melhores para mim, depois da inusitada conversa com Régulos. Oficialmente estava de férias para me recuperar da perda insubstituível de Endy Will Sanders, meu mais recente empregador, um bônus concedido pela empresa Enterprises como gratificação pelos meus trabalhos. Extraoficialmente estava em um projeto para escrever um livro sobre o ilustre personagem, aproveitando-me do fato de ter sido um dos últimos homens a estar presencialmente com ele, levando-se em conta o meu passado como Historiador, antes de me dedicar à tarefa mais “lucrativa” de Investigador. Seja qual fosse a mentira que aceitassem não despertaria suspeitas e facilitaria o meu trabalho.
            Roy Régulos era um homem duro de negociar, mesmo abalado pelo medo primordial da sobrevivência, muito mais forte em políticos pelo que se conhece, conseguiu inserir no nosso acordo clausulas que o assegurariam de sua posição e me enviariam com uma passagem só de ida para alguma cadeia orbital automática, próxima o suficiente de algum buraco negro para desestimular qualquer reação adversa.
            Pensei na doce Carina com sua generosa visão a respeito da humanidade. Na pré-história da Era Galáctica ela seria o exemplar perfeito de um anjo. Se bem que anjos não...
            — Senhor Shimoda?
            — É Investigador Shimoda — respondi automaticamente, antes mesmo de me voltar e ver quem era — Senhor Glaubers, suponho.
            Ernesto Glaubers era o chefe da Divisão de Éter da Enterprises, seu nome normalmente era precedido pela palavra “gênio” e sucedido por palavras menos honoríficas, quando tinham oportunidade de fazê-lo. Não que alguém que fosse chefe de divisão em uma empresa que rivalizava senão superava em poder a própria Federação, fosse alguém agradável de ter à mesa de jantar, ainda mais alguém que era intimamente ligado a Endy, o que o tornava mais odioso para muitos do que qualquer crime que pudesse cometer.
            — Devo-lhe informar que o meu tempo é precioso, então se o senhor puder ser breve no que pretende...
            — Ernesto, se me permite chama-lo assim — sempre detestei gênios e títulos, meu pai garantiu que isso ficasse firmemente implantado em minha mente, ele mesmo possuía o suficiente dos dois para garantir isso — creio que foi informado de que estou autorizado a usufruir do seu precioso tempo como me aprouver, ou não estaria aqui. Mas recomendo o creme de Lumns, está com um sabor excepcional mesmo para...
            — Não vou perder tempo discutindo sobre como o senhor conquistou esse privilégio.
            O homem conseguiu me interromper duas vezes em menos de cinco minutos padrão, isso fez com que ativasse automaticamente o meu lado sociopata. Ainda assim consegui simular um sorriso e engolir outra colherada de Lumns antes de responder.
            — Vai levar o mesmo tempo se ficar em pé assistindo o meu jantar e respondendo as minhas perguntas ou sentar-se e pedir alguma coisa, por minha conta. Mas com certeza vai atrair menos atenção ao sentar.
            Ele sentou-se e apertou uma das opções mais caras do cardápio, provavelmente para me causar o maior prejuízo possível, que pouco depois foi trazida por uma beldade Siriana, os três fartos seios bem delineados pelo apertado traje plasmático que era o uniforme padrão do hotel, o verde acobreado do traje contrastando maravilhosamente com a pele azul da moça. Nenhum sorriso, nenhuma palavra, mas havia uma mensagem clara de sedução naquele olhar, algo que eu nunca consegui decifrar como elas conseguiam fazer.  As mulheres de Sirius eram consideradas as melhores cortesãs da galáxia mesmo não se dedicando a essa nobre profissão.
            Um perfume suave, diferente, chamou a minha atenção, mas não tinha tempo naquele momento para coisas do tipo. Obriguei-me a voltar ao trabalho.
Olhei para a escolha do meu convidado, algum tipo de crustáceo local, a tampa superior da carapaça removida com um fino laser, o interior preparado finamente com molhos e temperos que sequer poderia imaginar, coberto com camadas crocantes que provavelmente realçariam o sabor da carne. A habilidade com que o meu convidado degustou o prato, embora sem muito interesse, revelou-me que estava acostumado a servir-se da refeição.
Poucas pessoas poderiam dar-se ao luxo de desenvolver o habito a um prato caro daqueles, mas créditos não devia ser problema para alguém como Ernesto Glaubers. Fiz uma anotação mental para verificar a saúde financeira dele mais tarde.
            Deixei-o deliciar-se com o saboroso prato antes de disparar.
            — O que o senhor pensa da morte de Endy Will Sanders?
            Se a minha crueldade permitisse teria feito a pergunta alguns segundos antes, provocando um engasgo embaraçoso, mas precisava ser delicado e o desconforto causado bastou para o que desejava, apenas a súbita interrupção do prazer gastronômico do meu convidado. Creio que esta seria a ultima vez que degustaria com prazer o prato, sorri comigo mesmo.
            — O Dr. Endy era um iminente homem...
            — Eu sei quem era Endy Will Sanders, estou lhe perguntando outra coisa. Se não se importa em me responder.
            — Como eu me sinto em relação à morte de um dos mais poderosos homens da história da humanidade E meu empregador? Como deveria sentir-me?
            Gênios, sempre acreditam que podem reverter qualquer situação usando retórica, odeiam ser pegos de surpresa e acabam por revelar muito mais do que gostariam.
            Notei que em momento algum usou a palavra “amigo”, ou qualquer titulo benevolente em relação ao seu recém-falecido empregador.
            — Bem, deixe-me sugerir como você poderia sentir-se ao ser elevado a condição de um dos dirigentes da mais poderosa empresa de toda a história da humanidade. Creio que deveria sentir-se exultante, não acha? A morte de Endy lhe cai muito bem, Ernest.
            Isso fez com que ele enterrasse definitivamente o prazer que pudesse ter pelo prato a sua frente. Dmarks, o meu preferido filósofo da antiguidade, alertava que os gênios não deveriam ter acesso ao poder corruptor ou sua inteligência se curvaria com a mesma facilidade de um fio de ouro, ainda preciosa, mas altamente maleável aos interesses do artesão.
            — O senhor está sugerindo que eu...
            — Teve um grande lucro pessoal com a morte de Endy Will Sanders? Claro! Os fatos o dizem, ou há algo que não saiba? — não podia perder a oportunidade de mantê-lo acuado, tudo dependia da rapidez com que o confrontasse.
            Recostou-se contra a cadeira e sua expressão suavizou-se, isso era péssimo.
            — Não estou entendendo aonde o senhor quer chegar.
            — À sobremesa, é obvio. Já provou “as delicias de Havem”? Dizem que é simplesmente maravilhoso.
            Piscou diversas vezes antes de tentar pronunciar qualquer outro som. Quando ia dizer algo o interrompi de novo.
            — Quero que entenda que não estou interessado nos jogos políticos que devem estar ocorrendo neste momento para abocanhar um pedaço da cadeira deixada vaga. O meu interesse é apenas conhecer um pouco mais do misterioso Endy, quem era o homem por trás do poderoso cargo. Pode me ajudar nisso?
            Ele sabia que eu estava mentindo, isso era um fato, mas também não conseguia definir o que a mentira escondia, a única forma que havia para resolver a questão era simplesmente fingir que acreditava na farsa e aguardar que cometesse alguma falha, o que, na sua visão, não deveria demorar muito.
            — Quem era Endy Will Sanders de verdade? Pense nos piores canalhas que já existiram na história humana, junte todos em uma única pessoa. Endy Will Sanders o faria parecer um garoto mimado e birrento.

            Desta vez foi a minha vez de me recostar contra a cadeira. Não esperava por isso, conseguira pegar-me de surpresa com essa abertura direta. Não seria fácil lidar com este homem. Podia perceber nele os padrões de um sociopata muito inteligente e perigoso, alguém perfeito para o Circulo Interno, mas estaria jantando com o assassino de Endy Will Sanders? 

Próximos Capítulos: 

Postar um comentário

LinkWithin

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...